Mãe de segunda (vez, filho, filha…)

fevereiro 24, 2017


Em maio do ano passado, na festa da família da escola, as profes fizeram um vídeo da turminha onde perguntavam para cada um: “Porque você ama sua família?”
A resposta da Olga foi: “Porque eles vão ter um bebê!”
Saímos ganhando parabéns dos outros pais, descontando a história, e nos divertindo com a ansiedade dela.
Eu definitivamente nunca quis ter filho ou filha única. Tenho dois irmãos, e gosto muito dessa muvuca de casa com bastante gente. Mesmo tendo morado pouco tempo na casa dos meus pais depois que meu irmão mais novo nasceu (eu já tinha 17 anos!), nossa relação foi e é muito intensa, meio maternal. É irmã, mas é um pouco mãe, ele me dizia quando pequenino, meu amadinho João Gabriel, que hoje tem 15 anos!
O meu irmão do meio (eu sou a mais velha.. com todos os ônus e bônus desse negócio..), o Lucas, é praticamente gêmeo, temos uma sutil diferença de idade de 1anos e 7meses (coragem dos meus pais hein!), e depois de infância e adolescência em que quase nos matamos, somos grandes parceiros e amigos!
Enfim! Eu tenho convicção de que irmãos são nossos primeiros amigos, fonte de aprendizados mútuos, exercícios diário e constantes de relações e comunicação com o mundo e principalmente, aqueles parceiros cúmplices para reclamar dos pais! 😂
Em 2016 ainda nós batemos o martelo:  Encaminharíamos mais um bebê!
Em setembro visitei nossa obstetra queridona, iniciei o ácido fólico e ficamos criando coragem para parar com o método contraceptivo.
A coragem e a vontade de sentir aquele cheirinho novamente foram aumentando.
Fizemos contas e achamos que seria bacana engravidarmos no verão de 2017 (mania de querer planejar tudo!). Na da Olga, foi no terceiro mês de tentativa. Em dezembro resolvemos liberar o preservativo e ver no que ia dar.
Eis que uma semana antes do natal eu tive um enjôo estranho, vomitei e ficou tudo certo. Não dei bola. Na semana pós natal, dia 27, eu me dei conta do atraso de 3 dias.. e eu sou reguladona. Simplesmente nunca atrasou minha menstruação. Ainda assim pensei que pudesse ser algo relacionado à ansiedade, enfim..
Comprei um teste simples de farmácia e apareceu a segunda listra praticamente fantasma.
Achei que fosse negativo mesmo.
Mas minha amigas mães que acompanhavam tudo em tempo real pelo whats me convenceram a fazer um teste melhor. Destes digitais, que se pode fazer até antes do atraso. Contei pro Di. Ele trouxe esse tal teste e eu resolvemos aguardar até a primeira urina do dia seguinte.
Acordei as 6h30 e corremos para fazer. É muito rápido e preciso. Em poucos segundos estava lá o resultado:
Grávida!
Só consegui abraçar meu amado e dizer: “Vai começar tudo de novo!”
Caímos no choro, como na primeira vez. ❤️

Posts Relacionados

0 comentários

Posts Populares